domingo, 15 de janeiro de 2012

EStacionamento versus calçada e ciclovias

Em maio de 2011, a gazetaonline produziu um artigo, que basicamente apoia a idéia de mais estacionamento para carros na cidade. Nesse artigo, um engenheiro que conheci critica a falta de estacionamentos para carros e crítica até o estacionamento rotativo. Ele invoca uma fatalidade:
"Hoje, anda de ônibus quem não tem condição de comprar uma moto ou um carro. É fato".
Bom, infelizmente o ponto de vista apresentado no artigo não vai melhorar em nada a qualidade de vida na cidade. Para estacionar mais facilmente, o estacionamento rotativo precisa ser implantado. Precisamos também, incentivar as viagens de ônibus, a pé e de bicicleta. Na implantação do estacionamento rotativo, muitas vagas vão ser liberadas, precisa-se
O que falta mais em Vitória atualmente é melhorar a condição de tráfego dos ciclistas (além de melhorar a qualidade dos ônibus e motoristas de ônibus). Para isso, a própria lei de do PDU de vitória define muito claramente que as ciclovias devem ser priorizada em detrimento de vagas de estacionamentos para carros nas ruas

PDU de Vitória de 2006:
"Art. 34. São diretrizes da Política de Mobilidade Urbana:
(...)
VII - apoio e incentivo às viagens não motorizadas;
VIII - priorização das calçadas e ciclovias em detrimento de estacionamentos nas vias públicas;

Eu vou citar um exemplo muito estratégico onde essa diretriz não está sendo aplicada, no Centro de Vitória, perto de Porto. Nesse trecho a maioria dos ciclistas são jogadas numa avenidas de grande fluxo e onde os carros costumam andar acima da velocidade permitida de 60 km/h quando não tem congestionamento. Esse lugar é de fato muito perigoso para os ciclistas. Existe uma rota alternativa que desvia mais de 90% desse trecho perigoso mas contém algumas subidas íngreme e o desvio é muito grande. O trecho corresponde a algumas centenas de metros onde os ciclistas passam "perenga" mas poderiam ter pelo menos uma ciclofaixa só aplicando essa diretriz o que deveria incentivar às viagens não motorizadas, ou seja dar alguma vida para a 7a diretriz do PDU e implementaria um trecho de uma ciclovia prevista no plano cicloviário do PDU...

Também discordo do "engenheiro de trânsito" quando ele diz que o contribuinte não deve pagar para usar o espaço público. Ele está se referindo ao uso de estacionamento de carro e visivelmente não usou nenhum conhecimento específico da área dele mas se posicionou mais com uma ideologia do poder absoluto do carro na cidade, a ditadura dos carros. Para melhorar o estacionamento, o estacionamento precisa ser rotativo, em particular em regiões onde têm comércios para facilitar o fluxo de clientes. De maneira geral o uso do carro precisa ser desincentivado.
O artigo da gazetaonline não esquece de falar um pouco de bicicleta dando um exemplo da fisioterapeuta Cristina Andrade da Praia do Canto que faz tudo de bicicleta. Só não sei exatamente como ela consegue isso! Eu queria saber mais a respeito das soluções que adotou para poder fazer isso. Eu gostaria por exemplo de poder ir no cinema de bicicleta em Vitória mas ainda não foi possível, por falta de bicicletário!

link:
http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/05/noticias/a_gazeta/dia_a_dia/848723-tres-vagas-para-100.html
Plano diretor urbano de Vitória (2006): http://www.vitoria.es.gov.br/sedec.php?pagina=planodiretorurbano

7 comentários:

  1. "A ditadura dos carros", é isso aí.

    ResponderExcluir
  2. Uma ditadura contra os ciclista e a qualidade de vida mas com participação e aceitação ampla na sociedade!
    Também fiquei com a impressão que não oferecer espaço para os ciclistas já podia caraterizar um tipo de apartheid contra eles:
    http://vitoria-sustentavel.blogspot.com/2011/12/apartheid-contra-ciclistas.html
    Talvez eu estou exagerando mas o que achei mais interessante é que a maioria das pessoas não percebem que isso é anormal. Será que na época da Rosa Parks nos Estados Unidos, uma boa fatia das "pessoas" (dos brancos) achavam normal que os pretos não tivessem direito iguais a eles? Eu acho que não... Minha impressõa é que a maioria das pessoas seguem a "norma" sem a questionar ou a questionando tão pouco...

    ResponderExcluir
  3. Olá, gostaria de saber como anda a regulamentação de bicicletas elétricas no Brasil/ES/Vitória. Estou nos EUA e gostaria de levar uma bicicleta elétrica quando eu retornar ao Brasil no fim de 2012, mas pelo que achei na internet, essas bikes são consideradas ciclo-motores e exigem licenciamento, emplacamento e habilitação!
    Aqui na Califórnia, o uso é livre para as bikes com velocidades de até 32km/h. Se eu tiver esse problema no Brasil, irei pensar em pegar o dinheiro e dar de entrada numa moto, pois a bike que quero comprar custa $1.300... é isso que as autoridades querem incentivar?

    ResponderExcluir
  4. As bicicletas não são autorizadas oficialmente porém tolerada. Eu uso uma bicicleta no pedal assist na norma europeia que parece mais bicicleta do que sua homóloga americana com a qual não é necessário pedalar para avançar, caraterizando ela mais como um ciclomotor no meu ponto de vista, ou seja não trazendo benefício nenhum para a saúde do usuário.
    Tecnicamente minha bike é híbrida, não é elétrica. Não existe norma específica para ela. As bikes elétricas americanas têm geralmente um acelerador de punho e não são híbrida se eu não estou enganado. Talvez seja possível comprar uma bike elétrica com pedal assist nos Estados Unidos. O mais simples as vezes é comprar um kit de adaptação que pode passar na mala, se ela for suficientemente grande...

    No Brasil, teoricamente bicicleta elétrica é considerada um ciclomotor. Não poderia andar na ciclovia e precisa ser emplacada se eu lembro bem. Faz parte da ditadura do carro, que no Brasil é muito mais forte do que no resto do mundo. Eu acho que o Brasil deve ser um dos últimos país a não ter definido uma categoria de bicicleta elétrica. É extremamente decepcionante mas na verdade mostra talvez somente que quem manda no CONTRAN são pessoas muito ligadas a construção de automóveis e obviamente tem grandes interesso econômicos contrária ao desenvolvimento da bicicleta elétrica que talvez tem um grande potencial no Brasil assim que o salário mínimo aumenta mais um pouco...

    ResponderExcluir
  5. Para mais detalhes: pesquise no google: bicicleta elétrica contran

    ResponderExcluir
  6. Hors sujet, mais je n'ai pas trouvé ton mail pour te répondre à propos des liens.
    Donc, deux possibilités : soit insérer dans la colonne de droite une blogroll (c'est un des widgets proposés par Blogger) avec les liens, soit insérer dans le corps d'un texte un lien en utilisant l'éditeur Blogger. Tu peux aussi utiliser directement la syntaxe suivante : nom du lien.

    ResponderExcluir