sábado, 25 de janeiro de 2014

Introduzindo o princípio antitóxico

Somos circundado para mais de 100.000 moléculas produzidas pelos homens. Esse universo químico aumentou muito a partir da revolução industrial e sua ampliação acelerou-se depois da segunda guerra mundial. Nos aproveitamos de muitas novidades, muito progresso, como, por exemplo, os remédios, os celulares etc... Podemos perceber que entre as vantagens do progresso e os novos riscos existente, o progresso sem ética parece ser a tendência predominante. Raramente, paramos para analisar profundamente o custo benefício dos riscos elencados pelo progresso. Nossa sociedade é realmente uma sociedade do progresso? Qual progresso?

Por exemplo, o carro possibilitou deslocamentos longos e rápidos mas gera partículas e moléculas nocivas (hoje ele também é a base dos engarrafamentos nas cidades que é uma outra praga da nossa civilização). Outras substâncias ou partículas nocivas são também encontradas na comida, nas roupas, nos produtos de limpezas, nos cosméticos e em outros produtos presente dentro de casa como a pintura, por exemplo. As pesquisas relativas aos efeitos dessas moléculas e partículas não são fáceis. Precisa-se de muitas pesquisas de alto nível mas infelizmente pouco dinheiro é investido para isso acontecer. A prioridade é a inovação e a criação de novos produtos, novas moléculas. Em presença de várias moléculas, podem existir efeitos complexos mesmo quando as moléculas nocivas se encontram em pequenas quantidades. É o caso por exemplo dos disruptores endócrinos que podem ter efeitos deletérios mesmo em concentrações ínfimas. Os efeitos possíveis dos disruptores endócrinos são vários, como a infertilidade masculina e feminina, o aborto espontâneo, a endometriose, as anomalias de desenvolvimento do aparelho genital, a puberdade precoce, o câncer do testículo, o câncer de mama, o câncer da próstata. Vamos analisar um por um vários tipos de produtos contendo essas moléculas, começando pelos plásticos que se encontram em cada cantinhos do nosso dia-adia, na cozinha, na casa, no carro, no brinquedos etc...

PLÁSTICOS

Um dos casos mais famosos de disruptores endócrinos encontrado em plástico é o bisfenol A que foi proibido nas mamadeiras desde 2011 no Brasil. De fato, existem experimentos feitos com ratos que evidenciaram efeitos cancerígenos e problema de desenvolvimento e de reprodução. Os industriais falam que faltam provas pois os experimentos não foram feitos em homens. Os industriais tentaram negar os riscos mas quando foram obrigado a encontrar uma outra solução, por exemplo, na França, eles conseguiram fazer mamadeira sem bisfenol A em menos de 3 meses.
A dica para evitar o bisfenol A, além de comprar produtos certificados sem bisfenol A é evitar os plásticos com número 3 (PVC), 6 (policarbonato, o pior!) e 7, o polistireno, que, além de bisfenol A, pode apresentar ftalatos que são relacionados com uma diminuição da fertilidade (masculina em particular), com câncer (em ratos) e são também disruptores endócrinos. No estado atual dos conhecimentos, os plásticos mais seguros têm os números 2, 4 e 5. É importante notar que o bisfenol podem ser "ingerido" através da pele e é encontrado em recibo de cartão de credito. Os ftalatos são mais encontrados em plásticos flexíveis (cortina de banheiro por exemplo) pois a função do ftalato e tornar os plásticos mais maleáveis e menos quebradiços.
Para os compostos tóxicos, como o bisfenol A e os ftalatos, existem dosas diárias aceitaveis adotadas paelas agências sanitárias que pretendem garantir a saúde das pessoas mas vários médicos especialistas, como, o pesquisador Michael D. Coleman da universidade americana de Aston ou, por exemplo, o médico gastroenterólogista Laurent Lechevallier que escreveu o livro antitóxico (em Francês), se acordam para dizer que o fundamento dessas dosas diária não são confiáveis devido ao efeito coquetel (com mistura de diversas moléculas). De fato estamos geralmente submetido simultaneamente a várias moléculas potencialmente nocivas.
Encontrei produtos certificados sem bisfenol A (caixinha de plástico) na França. O Brasil ainda está engatinhando nessa linha. É fácil encontrar pote de vidro com tampa sem bisfenol A por enquanto. Para os utensílios de cozinha os materiais mais seguros são o inox, o vidro e a cerâmica (mesmo se sobram dúvidas a respeito das cerâmicas pois os industriais não deram a composição sob pretexto do sigílo industrial...). Os revestimentos antiaderentes são também problemáticos pois eles contêm produtos perfluorados e em particular o ácido perfluorooctanóico (PFOA), que apresenta vários problemas. Ele é associado a casos de infertilidade e câncer. Infelizmente a página wikipedia em Português não mencionam esses problemas mas se você entrar na versão Francesa, é assustador ler a seção "toxicologie" (toxicologia) dessa página! O PFOA seria também ligado a problema cardíacos. É também uma boa ideia evitar colocar produtos quentes em processadores que podem conter bisfenol A e compostos polibromados que também são relacionados com problemas de fertilidade. O silicone é um outro material cuja composição é desconhecido por causa do "segredo industrial" mas como o doutor Laurent Chevallier observou, o silicone sempre perde material, ele parece gorduroso, sinal que algum componente está sendo extraído dele, deixando algumas dúvidas a respeito do seu uso para cozinhar.


AGROTÓXICOS

Para evitar produtos tóxicos, uma dica é evitar não só produtos industrializados que contêm aditivos e privilegiar produtos orgânicos afim de evitar agrotóxicos que não precisam ser apresentados pois, já é de conhecimento difundido no Brasil que eles são nocivos para saúde. Porém encontro muitas pessoas que negam esses efeitos, por desconhecimentos ou falta de consciência. Para ficar mais claro, os agrotóxicos são feitos para matar a vida. Os dois principais mecanismos são:
    (1) inibir a divisão celular,
    (2) modificar a síntese de proteínas.
Existem dois tipos de intoxicações com agrotóxicos. Primeiramente as intoxicações agudas que têm a ver principalmente com os agricultores que não são produtores orgânicos e os trabalhadores de usinas de agrotóxicos. Os casos de intoxicações agudas se contam em dezenas de milhares! Em 2007, 209 pessoas morreram por causa disso no Brasil. O segundo tipo de intoxicação é crônica, quando as pessoas recebem quantidades menores durante muito tempo. Para evitar agrotóxicos, não basta comer frutas e legumes orgânicos. É também importante evitar ovos e leite não orgânicos, por exemplo. É também importante evitar a gordura dos animais (e portanto também os embutidos) pois, certos produtos nocivos se acumulam nelas através do efeito de bioacumulação. Os produtos acumulados na gordura animal podem ser perigosos pois eles não são geralmente solúvel na água e não são evacuados pelas urinas. Existem um mecanismo de defesa que consiste em tornar solúvel em água (hidrófila) as moléculas inicialmente não solúvel em água (hidrofóbica) mas isso não funciona para todas as moléculas. Um exemplo de produto nocivo encontrado nas gorduras é a dioxina que é um produto de combustão associado com câncer e produzido, não só por incineradores mas também em queimas de lareiras, por exemplo.
Os agrotóxicos mais perigosos são os organoclorados pois eles são persistentes. Eles já são proibidos na maioria na Europa. Não sei qual é a situação no Brasil? Preciso pesquisar!
Os organofosforados não se acumulam no corpo mas a exposição repetida pode contribuir a modificar o metabolismo. Certos organofosforados foram usado como gás de guerra (gás sarin...).
O biologista molecular Claude Reiss explica que quando o corpo está em presença de mistura de agrotóxicos, a toxicidade pode ser de 20 a 30 vezes maior. Em particular as mitocôndrias (baterias das células), podem ser atingidas e não conseguir mais alimentar as células em energia o que provoca a morte dessas células. As células são também submetidas a um estresse oxidativo poderoso, possivelmente cancerígeno que pode desencadear efeitos em cascata.
Novos efeitos surpreendente podem ser encontrados como, por exemplo nos roedores, a exposição a agrotóxicos desprovidos de toxicidade provocou a mudança alimentar! Os roedores expostos ficaram mais atraídos por alimentos gordurosos o que poderia favorecer obesidade e diabete na idade adulta!
Para resumir, os agrotóxicos podem ter efeitos neurológicos (Parkinson, talvez Alzheimer), distúrbios neurológicos como problemas de concentração, de memória, deficit de atenção, dificuldade escolares....), problemas de reprodução (infertilidade, aborto espontâneo...), câncer do sangue (leucemia, linfoma), distúrbios metabólicos (diabete), problemas respiratórios.
Os agrotóxicos não são só encontrados na alimentação mas também em uso doméstico. Tem que ter muito cuidado com os produtos contra insetos como formigas, mosquitos... Os agrotóxicos domésticos são um problema sério, em particular durante a gravidez e com criança pequenas. Na França, um estudo mostrou que a maioria das família usam um agrotóxico em casa e 70% das urinas das crianças contem pelo meno um agrotóxico doméstico.
Para lutar contra as formigas sem riscar uma intoxicação, pode ser usado no caminho delas, sal, borra de café ou pimenta vermelho.

Os herbicidas, em particular não são bem regulamentado e são ainda encontrados organoclorados. Era possível encontrar, ainda em 2012, na França, um componente do agente laranja, usado pelos americano durante a Guerra do Vietnã. Não sei ainda qual é a situação no Brasil mas receio que o laxismo das agências sanitárias faz com que sejamos, infelizmente, aqui também, em contato com muitos produtos tóxicos.
O problema dos herbicidas nem sempre é o produto ativo mas pode ser também um elemento que serve a melhorar a penetração do produto.
Os fungicidas que impedem a formação de fungos não são utilizados somente nas frutas e legumes mas também usado pela indústria têxtil e usado para o transporte e estocagem de tecidos, roupas. Eles são em particular associados a problemas de fertilidades. Por exemplo, os carbamatos são associados a anomalia de espermatozoides. Desde 1990 a cientista Theo Colborn, professora da universidade de Florida, alertou sobre os problemas dos organofosforados que são associados a esterilidade, em particular a endometriose e o ovários policísticos que representa cerca de 7% das mulheres em estudo, a baixa de testosterona. Infelizmente Theo Colborn não foi levado a sério é o resultado foi que, na população, a concentração de espermatozoides foi divido por 2 em 50 anos!
Para concluir sobre agrotóxicos. Podemos perceber que cada vez mais agrotóxicos são proibidos aqui ou lá fora. Será que as substâncias se tornaram mais nocivas de maneira súbita? Não! Simplesmente, a nocividade dos produtos ficou tão evidente que eles foram proibidos. No futuro muitos outros agrotóxicos serão provavelmente proibidos. Podemos lastimar a lerdeza do Brasil nessas proibições. Por exemplo o endosulfan, um agrotóxico muito nocivo para a saúde humano, foi proibido em 2005 na Europa e somente em julho de 2013 no Brasil! Era necessário demorar 8 anos para isso? Percebemos que é melhor evitar os agrotóxicos o quanto antes e ir para as feiras orgânicas, comprar produtos nas feiras orgânicas.

METAIS

Alguns metais também são nocivos a saúde. O mercúrio é o mais conhecido, não vou me aprofundar nele. O cadmio também é associado a infertilidade. O antimônio é um problema pois ele encontrado nas garrafas PET pois ele é utilizado como catalisador durante a fabricação do PET. Se você está duvidando, o antimônio pode ser medido nas urinas. O antimônio é um cancerógeno possível (classificação 2B) e potencialmente um disruptor endócrino. Existem valores de referências muito imprecisas e mesmo assim, na França, 5% da população se encontra acima desses limites (medida feitas nas urinas)! Sabendo que na França o consumo de refrigerantes é muito mais limitado do que no Brasil podemos temer que aqui a situação seja muito pior. A dica que posso deixar se você não quer abandonar as garrafas PET e de evitar a todo custo de colocar sucos de frutas pois o ácidos das frutas extrai o trióxido de antimônio.

ÁGUA

O alumínio é também problemático pois é associado a doença de Alzheimer. Com uma concentração de 100 µg/ml, a probabilidade de ter Alzheimer é dobrada segundo o diretor de pesquisa do CNRS Henri Pezerat que é um toxicólogo, que teve uma grande contribuição na sensibilização sobre os perigos do amianto. No Brasil, o amianto que representa um mercado de cerca de 3 bilhões de reais ainda não é proibido no país e o ministério público pediu uma indenização de cerca de 1 bilhão de reais em uma ação por dano moral coletivo segunda a folha de São Paulo. Henri Pezerat evidenciou o caráter cancerígeno do amianto desde de 1973.
A alumínio é presente na água quando esta foi tratado com sal de alumínio. O sal de alumínio pode ser substituído por sais de ferro, inofensivos. Alguém sabe se os sais de alumínio são usados na sua cidade? Na Grande Vitória? Já sei que não é usado na região dos meus pais!
O alumínio também é encontrado na forma de aditivos (E173, E520-3, E541, E554-9, E1452). O E541 pode ser usado como fermento químico por exemplo. O alumínio é encontrado em antiácidos e como adjuvante em vacinas (hidróxido ou fosfato de alumínio). Mesmo, com poucas vacinas, o problema é que o alumínio já está no sangue quando provem de um vacino! O alumínio é encontrado também em desodorantes na forma de sais de alumínios. Fora do país, podemos encontrar desodorantes com a menção "sem sal de alumínio" mas ainda não é muito difundido por aqui. Eu nunca vi nenhum desodorantes com essa menção e alias estou procurando ainda um desodorante na forma de creme e sem sal de alumínio. Se alguém tiver uma sugestão, por favor compartilha com a gente, aqui nos comentários ou na discussão sobre esse artigo no facebook ou página do blog no facebook! Comentário do 23/10/2015: Há meses uso desodorantes caseiros feito com abacate, amido de milho e bicarbonato de sódio. No lugar do abacate é possível usar a gordura da polpa de e coco seco mas a obtenção é um pouco mais demorada. Tem que abrir um coco seco, recupera a polpa, processar com água, deixar a misturar na geladeira. A gordura se separa da água, fica por cima e endurece em alguns dias.

Na água os nitratos são também problemáticos pois podem ser transformados em nitritos por bactérias do tubo digestivo, especialmente para bebês que não têm enzimas para se proteger dos nitritos. Para este últimos, eles podem provocar asfixia por falta de fixação de oxigênio (ainda tem dúvida nesse respeito, pode ser que não seja tão perigoso para bebês pois eles talvez não têm enzimas para transformar os nitratos em nitritos mas uma precaução amais é pode ser bem mais segura). No adulto, os nitratos poderiam favorizar a aparição do câncer da tireoide mas ainda falta evidências científicas. Os nitritos são presentes também na forma de aditivos (E249-250) e de nitrato (E251-E252).

O pH também pode ser um problema para quem tem cálculo renal devido ao excesso de ácido úrico que é também associado ao consumo de carne. Não é recomendado beber água ácida para pessoas com problema de cálculo renal e favorecer água mais alcalina (ou consumir menos carne).

Obviamente, os industriais querem vender cada vez mais água minerais engarrafadas, mas não podemos esquecer que tem plásticos em volta dessa água mineral! Se for consumir água engarrafada, o ideal seria numa garrafa de vidro (e com tampa sem BPA!). Mesmo se o vidro tem talvez uma pegada de carbono maior do que o plástico, o plástico não é tão bem reciclado quanto o vidro.

O calcário que tem uma fama ruim, na verdade não é perigoso. Ele mesmo protegeu as pessoas quando as canalização ainda continham chumbo pois o calcário depositado nas tubulações impedia o chumbo de se dissolver na água! Será que o calcário tem também o mesmo efeito protetor nos canos de PVC? Não sei, nunca li nada a respeito disso. De fato, o PVC puro que é um produto quebradiço precisa de bisfenol A e os fatlatos para melhorar as suas propriedades mecânicas mas como já comentamos acimas esses produtos devem ser evitados a todo custo! Os PVC mais flexíveis podem conter cerca de 50% de ftalatos! Tem que evitar até contato prolongado da pele com plásticos flexíveis.

Na água é possível também encontrar resíduos de remédios que também podem ser problemáticos. Na grande Vitória segundo informações que recebi, em conversa informal com uma professora de química, não existe tratamento contra metais pesados na água então é recomendável ter um purificador de água para beber água da torneira. Para evitar esses problemas, uma das raras soluções é o filtro de osmose inverso mas a água obtida precisa ser remineralizada. Ela pode ser porém reutilizada em suco verdes, por exemplo. Esses filtros são de uso mais complexo e uso por em quanto somente um purificador de água aqui em casa.

Outras substância nocivas são os sulfitas que são usados com frutas secas sem ser mencionados! Eu achava que comer damasco seco era saudável. Agora sei que posso estar comendo sulfitas. Os damasco secos orgânicos, que não cantem sulfitas, não são laranja mas marrão! Infelizmente, são menos atrativos.

CASA

Na casa encontramos também vários problemas como os compostos orgânicos voláteis COV. Felizmente, no Brasil com o calor, as janelas ficam mais aberta do que nos países mais frios. Nessa categoria, um dos produtos mais encontrados e problemático é o formaldeído que provem de móveis novos, em particular com madeira aglomeradas, pintura, verniz, revestimento do piso, desodorante de ambiente, (encenso, velas aromatizadas). O formaldeído é associado com câncer específico da garganta, e leucemia. Tem que ter muito cuidado com os quartos de crianças, em particular com as tintas e colas. Não sei se existe no Brasil selos como o selo do tipo ecoselo (ecolabels), que têm produtos menos nocivos. Vários solventes são suspeitados de provocar transtornos de fertilidade e câncer.

Para os produtos de limpeza tem que evitar o triclosano que é um disruptor endócrinos. Podem ser usadas receitas caseiras baseada em bicarbonato de sódio e vinagre branco como produto de limpeza
Além disso pode ser usado o limão com desodorante de ambiente.
O bicarbonato de sódio pode ser usado diretamente em tapete para contribuir a matar ácaros e eliminar fungos. O vinagre branco pode ser usado como amaciante. O sal pode ser usado para manchas de vinho. O sal associado ao limão pode ajudar a tirar manchas de ferrugem. O sal pode também fazer fujir lesmas se não tiver cinzas (o sal de mar diluído em pequenas quantidades na água é também usado para nutrir as plantas e tornar elas mais saudáveis e portanto mais resistente a doenças, bactérias).

Nos tecidos de casa tem que ter evitar os tecidos com produtos antimancha (polibromados), antichama (perfluorados), antiácaro e o triclosano que são disruptores endócrinos. Mais uma vez, evitar de comprar roupas de cama nova pode ajudar.
Tem que ter cuidado também com o percloroetileno uso em limpeza a seco.

Para evitar a acralimida é recomendado fazer cozimento abaixo de 120°C para evitar a sua formação. Por isso, os produto crus e os cozimento no vapor são recomendados por exemplo para as batatas (evitar batatas fritas). A acrilamida é cancerígena para o homem e causa problema de reprodução nos animais (ainda faltam pesquisas no homem).
Nos carros, encontram-se vários produtos voláteis. A melhor solução é evitar o carro, idealmente, não tendo nenhum, mas se não for possível, é melhor comprar um carro usado ou, no mínimo, evitar de renovar frequentemente seu carro! Quando o ar condicionado é ligado, recebemos um surto de partículas de plástico. Eu costumo sair de carro com os vidro aberto, a ventilação forte sem reciclagem do ar, no mínimo nas primeiras centenas de metros (e respirar menos nos primeiros segundos!!).
A ONG Ecology Center publicou uma lista dos 10 carros mais poluídos e os fabricantes tomaram algumas medidas e abaixaram os produtos tóxicos entre 13 e 40%!!
Os veículos motorizados também emitem partículas finas. O diesel emite mais partículas e gasolina emite partículas mais finas (<50nm). As partículas da gasolina comum são menos conhecidas mas elas são mais finas do que as partículas do diesel! Não vou aprofundar. A solução é substituir a tecnologia obsoleta de motor de combustão interna por carro elétricos, no mínimo nas cidades. Medida teoricamente simples mas que atrapalha o maior lobby do mundo, o petróleo!

COSMÉTICOS e BELEZA

Tem que ter muito cuidado com os cosméticos, os produtos de belezas que costumam conter aditivos e/ou substâncias nocivas. Vou começar pela coloração dos cabelos. As pessoas que manipulam esses produtos tem mais filhos com malformações. Se for absolutamente necessário, a dica usar hena puro em adulto mas ele também é problemático para criança. Tem que ser cauteloso! Cuidado com os verniz de unha e solvente de verniz que contém frequentemente formaldeído. Cuidado com perfumes cuja composição exata é desconhecida. Para os cosméticos é recomendados usar produtos orgânicos que não contem produtos de síntese e nenhum aditivos, conservante. Porém eles devem ser guardado na geladeira por causa disso e tem uma validade mais reduzida. Uma rápida busca no google me mostrou que tem lojas de cosméticos orgânicos no Brasil como a Cativa Natureza ou a Ikove. Os segredos de fabricação poderiam revelar surpresas! Para os protetores solares, mesma coisa, podem ser evitados produtos que podem ser utilizado em forma nanométrica como o dióxido de titânio TiO2 (E171) e o óxido de zinco, os ftalato (sigle DEP), BHA ou butylhydroxyanisole (E320) que é carcinógeno pelos menos nos animais, os parabenos (E214-9), isothiazolone (que pode substituir os parabenos), oxybenzona (BP-3 ou Bz-3) usados nos filtros solares, 4-Methylbenzylidene camphor (4-MBC) em filtro solar, resorcina usado par colorir os cabelos e de novo o triclosano!
A inocuidade das nanopartículas ainda está em aberto mais alguns experimentos já mostraram que elas podem atravessar o placenta.
Temos que ter cuidado com os produto de beleza pois os sucos digestivos destroem parte dos produtos tóxicos. Não é o caso dos produtos cosméticos.
Para evitar esses problemas é possível utilizar cosméticos orgânicos sem conservadores de síntese. Estes tem validade reduzida (tipicamente 3 meses) e devem ser guardado na geladeira.
Cuidado também com sabão, os sabões mais naturais como o sabão de Alepo e de Marseilles são recomendados. Preciso estudar para saber se existem sabão de coco confiáveis também (sem aditivos).  O shampoo também deve ser orgânico.
Existem alguns selos na Europa como o comesbio (95% orgânico), cosmos, cosmos organic, écolabel EU, BDIH, a marca Nature e Progrès (100% orgânico). Não conheço os produtos orgânicos do Brasil. Preciso que conhecer, aferir!

ROUPAS

As roupas também trazem um risco a saúde. Em 2012, Greenpeace denunciou o uso nonilfenóis que poderia tornar o homem estéril (caso de esterilidade de agricultor do Bangladesh segundo a página wikipedia em Francês), seria cancerígeno etc...
Como nas garrafas PET, as fibras sintéticas são também problemáticas pois contém antimônio como mencionei acima (>260ppm). O couro frequentemente tem cromo que provoca alergia dermatite (95% dos sapatos em couro). Teria que procurar selos seguros para roupa. Não sei existe algum no Brasil?
Entre as fibras naturais, se forem orgânicas, as melhores são o linho, as fibras de cânhamo seriam ideais pois salvo exceção o canhâmo não precisa de agrotóxico. No contexto atual de repressão as drogas no Brasil, imagino que isso não seja possível de ser desenvolvido aqui. Tem um outro risco com as calças jeans que podem ser clareadas ou envelhecida com nanopartículas de sílica (SiO2).


Para concluir

Além de evitar esse riscos, o que podemos fazer? Tem várias possibilidades.
É possível detoxificar com a clorofila que é presente em todos os legumes coloridos. O suco verde que está na moda deve ser ideal. Segundo um abordagem experimental feito em animais, foi possível reduzir por dois a incidência de câncer com a clorofila! A explicação é simples, a clorofila se combina com o poluente. As bactérias do intestino também podem "sequestrar" cadmio, arsênio, platina e chumbo. Alguns falam portanto da importância da probiótica. Uma possibilidade talvez é ampliar os alimentos crus na alimentação como nas dietas crudivoristas que evitam cozimento acima de 40°C.
Podemos fazer uma atividade física. Um atleta pode eliminar duas vezes mais rapidamente o cadmio, por exemplo! Consumir omega 3 seria importante também para se proteger indiretamente da poluição (proteção contra problema cardiovasculares). O consumo de geleia real favoreceria a eliminação de toxinas segundo um estudo feito com animais submetidos a radioatividade.
Dentro dos efeitos mais preocupantes, são os efeito epigenéticos que consistem na transmissão de problema entre geração.
Para terminar, eu quero dizer, além dos problema de câncer estamos frente a um dilema que é de saber o fazemos frente a ele. As doenças crônicas já dificultam muito os sistema de saúde pública. Na França, por exemplo estas doenças correspondem a mais de 80 % dos custos. Não sei como isso se compara com o Brasil mas é muito preocupante. Além das doenças crônicas, os problemas de fertilidade estão se multiplicando. Parece que algumas pessoas são mais sensíveis nesse ponto. Devemos reduzir esses poluentes com mais rapidez para permitir as pessoas mais sensíveis de ter filhos ou deixar as coisas acontecer como hoje, e não permitir essas pessoas de ter filhos? (A infertilidade não é só um problema dos homens mas um problema global de outras espécies como aponta o relatório de 2012 da ONU sobre os disruptores endócrino, um relatório que preciso terminar de ler!!

Minha última dica é tomar muito cuidado e não se arriscar muito! Se não podemos evitar todos os produtos, certamente, podemos evitar muitos deles ou reduzir muito nossa ingestão de produtos nocivos enquanto as empresas e os governos não fazem nada ou tão pouco para melhorar essa situação.

AGRADECIMENTOS

Meus agradecimentos vão em primeiro lugar para os dois autores dos livros dos quais tirei as informações desse artigo.
Grande parte do conhecimento que compartilho com vocês se encontra no livro "Antitoxique" (antitóxico) do Doutor Laurent Lechevallier disponível em Francês.

O conhecimento referente ao uso do sal de mar diluído em água para melhorar a saúde das plantas foi tirado do livro Nutrição evolutiva do Doutor Gabriel Coussens, um livro que mistura ciência com coisas não científicas.

Li o primeiro livro supramencionado durante esse verão em Cabo Frio e li o segundo no ano passado, também em Cabo Frio. Quero agradecer em particular a minha operadora de telefonia móvel sem qual isso não seria possível, pois esta operadora tem uma internet 3G (e 2G) que não funciona durante o mês de janeiro onde costumo ficar e que me deixa totalmente livre com muito mais tempo para ler! Muito bom!